quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Senac e Fecomércio, dois propinodutos que começam a vir à baila

Um falastrão-da-improbidade revelou detalhes de um esquema que ainda não foi detalhado


Um aniversário entre abril ou maio de 2017, nas dependências de uma das instituições mais respeitadas da sociedade organizada de Bom Jesus do Itabapoana...

...o aniversariante é um membro desta instituição filosófica, e entre os convidados estava ele, o fogueteiro-improbo, que se orgulha em público de suas aventuras com o erário-público a qual se fartou com a esposa, Cabral, Pezão, Picciani e Paulo Melo...

...o assunto da noite festiva era o estrondo causado pela operação “Quinto do ouro”, ocasião em que a Polícia Federal prendera cinco conselheiros do TCE-RJ, e conduzido coercitivamente Jorge Picciani...

...o fogueteiro-improbo aparentava estar com a adrenalina nas alturas, afinal de contas, ele se mantém impávido mesmo com todos seus comparsas-partidários estando presos, Cabral-Cunha-Cortes, e os cinco-conselheiros...

...em um misto de euforia e orgulho, ele recordava suas aventuras no centro do Rio de Janeiro, quando Paulo Melo, hoje também preso, lhe telefonava para avisar que o$ pacote$ já e$tavam liberado$...

...mesmo com todos que estavam na roda se mostrando explicitamente constrangidos e desconfortados, o fogueteiro-improbo continuou a detalhar a “farra-do$-pacote$”...

...ele sem o menor constrangimento, e com muito orgulho de suas proeza$, detalhou que o ponto de distribuição de propinas do estado para os municípios do interior, partia da sede da FECOMERCIO, no Rio de Janeiro...

...todos os aliados, pelo menos da região norte e noroeste, que transigiam com Cabral, Paulo Melo, Pezão e Picciani, tinham como ponto base de distribuição de recur$o$ a FECOMERCIO, que não por acaso começa a ser alvo de investigações envolvendo diversas fraudes, inclusive com jornalistas globais.


SENAC-RJ: Merval vai em cana?

R$ 375 mil para dizer o que todo mundo já sabe...

A revista ​de banqueiros por banqueiros para banqueiros publicou reportagem sobre a luta pelo poder na direção do Sesc/Senac-Rio - disputa que ​suspendeu um grande número de atividades esportivas, educacionais e culturais​.​

O texto revela a briga pelo comando da Fecomércio-RJ e de todo o Sistema S que ela mantém - "S", de Sesc, Senac, Senai​ (e... Skaf) - e de seu orçamento de mais de 1 bilhão de reais por ano.

A maior parte desse dinheiro ​sai​ de contribuições sobre a​ ​folha de pagamento do comércio.
​Há​ suspeitas de ​roubo​ e mau uso dos recursos - inclusive para o favorec​er​ do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.
O presidente das entidades, Orlando Diniz, foi ​mandado embora,​ após investigação na 37a. fase da Lava Jato​,​ e substituído por um interventor.
Seguiu-se, então, uma disputa ​na Justiça.​
E a população mais pobre do Rio, que ​usa ​os ​serviços​ do Sesc​-SENAC​ ​fica​ prejudicada.
Funcionários denunciam o desmonte das clínicas odontológicas em unidades do Sesc na Baixada Fluminense. Cursos livres e programas culturais foram encerrados em todo o Estado. Em unidades da Zona Norte do Rio, bibliotecas ​fecharam por conta da demissão de bibliotecários. Até mesmo as atividades esportivas estão suspensas.
Na unidade de Nova Iguaçu, quatro quadras esportivas ​foram​ interditadas por problemas estruturais - e ameaçam cair nas casas vizinhas.
Pelo menos 800 funcionários foram demitidos em 2017. Os que sobraram temem uma nova rodada de cortes.
A reportagem da ​piauí​,​ porém​, ​esconde ​as palestras milionárias de globais no Senac-RJ!
De acordo com o Intercept, em post reproduzido no Conversa Afiada​,​ em ​o​utubro do ano passado, a Fecomércio pagou R$ 2,979 milhões por palestras de jornalistas, comentaristas e analistas, todos ​da​ Globo​ Overseas.
Quem mais recebeu ​por "palestras"​ foi ​o ​Merval Pereira, o Ataulpho Merval: R$ 375 mil.
Segundo o ​Intercept​, as palestras foram contratadas sem licitação.
Outros funcionários da Rede Globo contratados foram Giuliana Morrone (apresentadora do Mau Dia Brasil)​ e​ Cristiana Lobo ​- analista inútil da GloboNews.
A íntegra do relatório de 238 páginas está disponível no site do Intercept.
S​e a investigação prosseguir e a SENAC-RJ que contratou o Merval, condenada, das duas uma: ou o Ataulpho devolve a grana, ou corre o risco de ir em cana com seu contratador!​
Conversa Afiada ​sugere​: ​para evitar dissabores, além da derrota em 2018, ​Ataulpho​, aproveita que hoje é quarta-feira e devolve os 375 mil​!

P​HA​

Nenhum comentário:

Postar um comentário